Bolsas de estudo anuais
Projetos e investigadores apoiados


No passado mês de Janeiro de 2019, decorreu mais um concurso de bolsas de estudo. Neste concurso recebemos  57 candidaturas. Deste projetos recebidos, atribuimos  13 bolsas de estudo aos seguintes bolseiros e projetos:

Himanshu Jindal, é um jovem de 23 anos, recebeu uma bolsa de Língua e Cultura Portuguesa, para frequência de de um curso anual de Língua e Cultura Portuguesa na Universidade de Coimbra . Trata-se de um estudante indiano de Nova Deli, mas que se encontra a estudar na Universidade de Goa, onde frequenta o seu Mestrado em Língua e Literatura Portuguesa.  

Ma Thi Ha, é uma jovem vietnamita, recebeu uma bolsa de estudo de Língua e Cultura Portuguesa, 
para frequência de de um curso anual de Língua e Cultura Portuguesa na Universidade de Coimbra. Tem 23 anos e é licenciada em Língua Portuguesa pela Universidade de Hanoi. Já trabalha como guia turística utilizando a língua portuguesa e tem feito outros trabalhos como interprete e tradutora de Língua Portuguesa para instituições e empresas.  

Chutikarn Kaewsuwan, natural de Banguecoque, tem 22 anos e está terminar a licenciatura em Espanhol, Português e Inglês, virá aperfeiçoar os seus conhecimentos de Língua Portuguesa, através da frequência de um curso anual da Universidade de Coimbra no próximo ano lectivo. Esta aluna tem participado como voluntária em diversas actividades promovidas pela Embaixada de Portugal no seu país.

Srushti Abhijit Prabhudesai é uma jovem indiana, que reside em Goa, frequenta  o 1º ano da licenciatura de Inglês e Português no Chowgule College of Arts and Science em Margão, escola que possui uma leitora do Instituto Camões.  Tem 20 anos, gosta de cantar Fado e aprendeu-o com outra das nossas bolseiras indianas Sónia Shirsat. Também estudou Bharatnatyam desde os 7 anos. Esta estudante viria frequentar uma curso anual de Língua e Cultura Portuguesa, mas como foi seleccionada para um programa de intercâmbio, virá com a bolsa da Fundação Oriente frequentar um ano da sua licenciatura na Universidade do Porto, que lhe possibilitará um contato formal e informal com a nossa língua. 

Cirilo Subha, timorense de Los Palos  é um jovem licenciado em educação, professor do ensino básico e formador de professores, que virá aperfeiçoar os seus conhecimentos de Língua Portuguesa, na Universidade de Coimbra

Dhruv Usgaonkar, é um jovem investigador de Goa, mas não de origem portuguesa, que se encontra em Portugal a realizar o seu  doutoramento intitulado "Goa como ponto de encontro entre a Índia e os paises Lusófonos:o papel da diplomacia cultural e da diáspora goesa". Este bolseiro é professor assistente na Universidade de Goa e está realizar o seu Doutoramento na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa, sob a orientação de Alexandra Dias.

Sofia Xavier é uma jovem portuguesa que se encontra na China a estudar Mandarim e a Fundação Oriente com a atribuição desta bolsa de estudo possibilitou a continuação dos seus estudos por mais um ano numa Universidade chinesa, consolidando assim, os seus conhecimentos de Mandarim.  A estudante está a terminar a sua licenciatura em Tradução e interpretação Português/Chinês,através de um programa de intercâmbio numa universidade Chinesa - Beijing Language and Culture University. Propõe-se agora com a nossa bolsa de estudo realizar uma curso de Mandarim com enfoque na área de economia e negócios na Universidade de Fudan, conforme informação no link em anexo.  http://www.ices.fudan.edu.cn/p6811c6658/list.htm .

Jiayi Yuan ou Andreia Yuan, é uma jovem chinesa, que está a viver em Portugal desde 2014 e que iniciou o seu doutoramento em 2016 no Centro de Estudos Comparatistas, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com a orientação de Everton Machado. Vai desenvolver uma tese intitulada "Visões Portuguesa de Macau nos séculos XX e XXI - Jaime de Inso, Maria Ondina Braga e Paulo José Miranda"

Sandrine Llouquet, investigadora e artista de origem vietnamita, mas de nacionalidade françesa, vai realizar um estudo intitulado " A parallel study of Portuguese Azulejos and Vietnamese Trencadis". Depois desta investigação, inspirar-se-á e fará um trabalho artístico e esperemos que resulta numa futura exposição. 

Tânia dos Reis Alves, investigadora portuguesa do Instituto de Ciências Sociais, doutorada que irá desenvolver um projeto intitulado "Relações Portugal-Índia reportadas na Imprensa em contexto colonial e pós-colonial". 

Apolonia Sherly da Costa, timorense mas de nacionalidade indonésia,  doutorada, vai desenvolver o seu projeto de investigação de pós-doutoramento na Universidade de Aveiro sob o tema "Impact of Floooding in Fishermen's families in Ex-East Timor refugee community in Kovalima and Besikama villages, West Timor, East Nusa Tenggara Province, Indonesia".

Nguyen Phuong Nhi, estudante vietnamita que esteve a estudar durante o ano letivo em Portugal com uma bolsa de estudo de Língua e Cultura Portuguesa e a quem concedemos mais uma bolsa, a título excecional, para desenvolver o seu Mestrado em Comunicação e Gestão de Indústria Criativas na Universidade do Porto

Mara Fernandes, licenciada em Antropologia, esteve a estagiar no Museu sobre a temática do Festival das Bonecas e foi beneficiada com uma bolsa de estudo para continuar este trabalho e desenvolver uma investigação sobre o Festival dos Rapazes e outros festivais do Japão. O produto deste trabalho  será utilizado para a próxima exposição da Kuok On no Museu do Oriente, que será inaugurada no fim do próximo ano e que versará a temática das festas e tradições do Japão.


Neste gráfico apresentamos os números totais de bolseiros do programa de bolsas anuais, ao longo destes quase trinta anos, gráfico este que apresentámos no encontro de Novembro,em que reunimos bolseiros e ex-bolseiros.
É visível o entusiasmo inicial que se traduziu num número elevado de bolsas concedidas.Temos assim em 1990 o ano em que se concederam mais bolsas de estudo – 69 - e no extremo oposto está o ano de 2014, em que concedemos apenas 6 bolsas.
É de referir que nos anos da abertura do Museu e subsequentes concedemos um menor número de bolsas, mas que desde 2015, temos feito um esforço para voltar a aumentar o número de bolsas de estudo concedidas e é esse sinal que continua, este ano, com atribuição de bolsas de estudo a 13  investigadores/estudantes.
Destaco ainda que este ano atribuímos um elevado número de bolsas de estudo a estudantes e investigadores da Ásia, nas mais diversas áreas, como referido atrás. Há também um grande destaque às bolsas de Língua e Cultura Portuguesa com bolseiros de Timor, Índia, Tailândia e Vietname.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Concurso de Bolsas de estudo anuais